AÇÃO POLICIAL

Policiais Penais do Tocantins se formam em curso de Escolta Tática no Maranhão

Primando pela formação continuada e aprimoramento técnico, três policiais penais dos Sistemas Penitenciário e Prisional do Tocantins (Sispen/TO) da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) se formaram nesta terça-feira, 22, no curso de Escolta Tática pela Academia de Gestão Penitenciária (AGPEN) da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Maranhão (SEAP). O curso utilizou o que há de mais atual em procedimentos de escoltas de rotina e de alto risco, objetivando capacitar agentes para uma melhor prestação de serviço no ambiente carcerário.

O Superintendente de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional do Tocantins (Sispen/TO), Orleanes de Sousa Alves, parabenizou os policiais penais que se formaram e agradeceu a parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária do Maranhão. “Parabenizamos o compromisso dos policiais penais do Tocantins que finalizaram o curso com êxito, agradecemos a Polícia Penal do Maranhão e a todas as instituições envolvidas. Capacitar nossos servidores faz parte do plano de reestruturação do Sistema Penal do Tocantins, fortalecendo assim o serviço prestado à sociedade tocantinense e a execução da pena”, destacou o superintendente.

Um dos formandos do curso, o policial penal, Lucas Daniel Paiva, fala da importância de capacitações como essa. “A atividade de escolta é algo que sempre exercemos e trazer esse conhecimento é muito importante, tanto para a difusão como para a melhoria do nosso trabalho. O nosso intuito também com essa capacitação é montar nosso grupo próprio de escolta e melhorar nossa atividade, dando mais segurança e garantindo a efetividade no trabalho de todos os policiais penais tocantinenses”, concluiu.

Escolta Tática

O curso iniciou no dia 18 de novembro e finalizou dia 19 deste mês e contou com diversas forças de segurança do estado do Maranhão, como a Ronda Ostensiva Tática da Polícia Militar (Rotam), Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), Companhia de Patrulhamento Rural (Cosar), Centro Tático Aéreo, Policiais Civis, Corpo de Bombeiros, além da Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil do Piauí.

Durante os 31 dias de imersão no curso, os agentes receberam instruções envolvendo patrulhamento terrestre e aéreo, abordagem pessoal e veicular, condução de veículos de emergência, escolta terrestre e aérea, entre outras que envolvem situações de combate e de socorro a vítimas de armas de fogo.