Araguaina

Araguaína tem rede de apoio psicológico para combate ao suicídio

A depressão é considerada pela Organização Mundial da Saúde como o mal do século 21. Uma enfermidade pouco conhecida por quem sofre e invisível aos olhos dos familiares e amigos do doente. O Setembro Amarelo é uma campanha em que o poder público e sociedade visam a conscientização, a desmistificação e prevenção do suicídio.

O Município possui vários serviços de atendimento especializado para diagnóstico, tratamento, prevenção e ainda chamadas de urgência e emergência. Nem sempre se pode controlar os impulsos sozinhos e por isso é necessário procurar ajuda profissional. Em Araguaína, a RAPS (Rede de Atenção Psicossocial) conta com locais e modalidades de atendimento.

Porta de entrada
O atendimento psicológico e psiquiátrico à comunidade pode ser solicitado a partir de uma consulta médica nas UBS (unidades básicas de saúde). O agendamento da consulta deve ser feito na UBS ou pelo 0800 da Saúde (0800 641 2200). Identificada a necessidade de acompanhamento, o paciente será encaminhado aos serviços especializados.

Atendimento especializados
Entre os atendimentos especializados estão o NASF (Núcleo de Apoio e Saúde da Família), AME (Ambulatório Municipal de Especialidade), CAPS Adulto (Centro de Atenção Psicossocial 2), CAPS infantil (Centro de Atenção Psicossocial 1) ou para o CAPS-AD 3 (Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas).

A população também pode ir diretamente ao CAPS, pois não há necessidade de encaminhamento a este serviço. O CAPS 1 fica na Rua Deusarina Aires, quadra 4, lote 12, no Setor Tecnorte, e tem o contato 3411-2955; já o CAPS 2 é localizado na Rua Castelo Branco, nº 40, no Setor Rodoviário, e o telefone é 3411-2959 ou 3411-2962; e o CAPS AD 3 está na Rua 12 de Outubro, nº 459, Centro, e pode ser contatado pelo número 3412-6091.

Oferta de trabalho
O CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) oferta trabalho social especializado às famílias e indivíduos em situação de risco pessoal ou social, por violação de direitos. A unidade funciona na Rua dos Maçons, nº 54, Centro. Os moradores podem entrar em contato pelos telefones (63) 3411-7116 e (63) 99973-9729.

Prevenir é melhor
O coordenador do CAPS 2, Weliton Bezerra, alerta que essa doença pode nascer de muitos jeitos e que não se deve menosprezar o sofrimento. “O labor da vida moderna tem nos trazido algumas dificuldades, conciliar trabalho, família e lazer está cada vez mais difícil”.

Uma das dicas é a atividade física saudável para auxiliar na prevenção e tratamento da ansiedade e transtornos. “A pessoa deve buscar a atividade física que melhor se identifica, tem que ter prazer na prática, se ele buscar uma modalidade que não gosta certamente será um sacrifício e provavelmente irá amplificar os sintomas e irá desistir”.

O CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) tem atendimento com objetivo de prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidades e riscos sociais, por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, e da ampliação do acesso aos direitos de cidadania.

Araguaína possui três unidades: CRAS 1, localizado na Rua Lontra, lote 29, Setor Céu Azul, e tem os telefones (63) 3412-5152 e (63) 99962-6452; CRAS 2, fica na Praça Iguaçu, lote 4, Setor Araguaína Sul e tem os telefones (63) 3412 4023 e (63) 99973 9763; e CRAS 3, que é instalado na Rua 8, lote 1, Setor Lago Sul, e pode ser consultado pelo telefone (63) 99951 0119.

As unidades dão apoio para o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) em três setores: Couto Magalhaes, Costa Esmeralda e Distrito Novo Horizonte.

Mais ainda
Além dos CRAS e o CREAS, o Centro-Dia oferece esses serviços de atendimento de psicólogos, assistentes sociais e pedagogos sociais. A unidade é referência para pessoas com deficiência, em situação de dependência, e tende também as famílias dos pacientes. Seu funcionamento é na Rua Ademar Vicente Ferreira, nº 514, Setor Noroeste e o contato pode ser feito pelo telefone (63) 3415-1305.

Sempre alerta
Em caso de risco imediato é possível solicitar atendimento pelo número 192 para acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que encaminhará o paciente ao serviço de urgência psiquiátrica do Hospital Regional.

O Centro de Valorização da Vida (CVV), da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina, pode ajudar pelo número 188 em todo o território nacional, 24 horas todos os dias de forma gratuita.