Araguaina

Devido à baixa procura, Araguaína prorroga campanha de vacinação contra sarampo

Com a baixa procura pela vacina contra o sarampo durante a campanha deste ano, a Secretaria Municipal da Saúde de Araguaína decidiu prorrogar o prazo de vacinação que deveria terminar no dia 30 de junho. O objetivo é que a população possa procurar as unidades básicas de saúde para ser imunizada. A meta do Município é vacinar cerca de 8 mil pessoas do público- alvo, mas de acordo com o último boletim epidemiológico, até agora apenas 25% receberam a dose.

Desde o mês de março, quando esta etapa da campanha foi iniciada, cerca de 2 mil doses da Tríplice Viral e Dupla Viral, que são utilizadas contra o sarampo, foram aplicadas em pessoas do público-alvo, um número considerado ainda baixo pelo Município.

Segundo a Secretaria da Saúde de Araguaína, um dos principais motivos para essa baixa procura pela vacina é o receio da população em procurar as unidades de saúde durante este período de pandemia de covid-19, que tem refletido também em outras vacinas.

“É compreensível que isso aconteça por conta do momento em que estamos vivendo e não é apenas uma realidade de Araguaína. Mas nós estamos adotando todas as medidas para garantir a segurança e a saúde da população, não podemos deixar que o sarampo, essa doença tão perigosa, também chegue à nossa cidade”, explicou a coordenadora de Imunização do Município, Samila Braga.

Público-alvo

A vacina contra o sarampo está disponível em 15 unidades de saúde de Araguaína e durante a campanha está sendo oferecida a pessoas de 20 a 49 anos de idade, independente se já vacinou anteriormente. Este é o último público-alvo e que tem a menor taxa de adesão da campanha.

Até o momento, nenhum caso de sarampo foi registrado em Araguaína este ano. Um número bem diferente do divulgado por outras cidades brasileiras, que de acordo com o Ministério da Saúde já somam 5.642 casos registrados em 2020, em 21 estados do País. No ano passado, 18.092 casos foram confirmados, sendo 99,21% na Região Norte.

Devido à queda nas taxas de vacinação, principalmente de pessoas adultas, o Brasil deixou de atender aos requisitos necessários para manter o certificado de eliminação do sarampo. A Campanha Nacional de Vacinação contra a doença vai até o dia 31 de agosto e pretende combater o retorno da doença no Brasil, que estava erradicada, mas passou a circular novamente no país desde fevereiro de 2018.

A doença

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, e pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Os sintomas da doença são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo.