Política

Aprovados projetos de lei do vereador Jorge Carneiro que homenageia policiais militares assassinados em Araguaína

A Câmara Municipal de Araguaína aprovou nesta terça-feira (14), dois Projetos de Lei que homenageiam dois policiais militares assassinados em Araguaína.

Os projetos se referem ao Cabo Isaias Francisco de Souza e ao Sargento Jandres Alves Bezerra, tendo seus nomes dados a duas praças na cidade de Araguaína, sendo a praça da Vila Couto Magalhães, situada na Avenida Castelo Branco em frente a BR 153, que passará a se chamar de Praça Sargento Jandres Alves Bezerra; e o espaço público em que será revitalizado e transformado na Praça Cabo Isaias Francisco de Sousa, localizada no cruzamento da Rua Alfredo Nasser com Rua das Jaqueira e Rua dos Jaracatiás, no Setor Araguaína Sul, assim que forem sancionados pelo Prefeito Wagner Rodrigues.

Para o Vereador SGT Jorge Carneiro, autor dos Projetos, “o reconhecimento a esses profissionais, é mais que uma homenagem, é uma obrigação nossa que estamos hoje como vereador, esperamos poder inaugurar essas praças o mais breve possível, com a presença de todos os policiais do 2º BPM e do BPMA, além dos familiares e amigos desses bravos guerreiros”.

Os projetos seguirão para a sanção do Prefeito Wagner Rodrigues.

Resumo dos homenageados

Isaias

Isaias Francisco de Sousa incluiu na Polícia Militar do Estado do Tocantins em 11/07/1994, após ser aprovado em concurso público para o cargo de soldado. Durante toda sua carreira esteve lotado no 2º BPM de Araguaína, onde participou com muita dedicação e espírito de colaboração e presteza ao serviço policial militar. Em seus assentamentos profissionais constam inúmeros elogios, coletivos e individuais, confeccionados pelo comando do 2º BPM, por ser um militar extremamente disciplinado, zeloso pelo bem público, muito dedicado em cumprir as missões que lhe foram atribuídas e acima de tudo exemplo de profissionalismo dentre seus pares, subordinados e até mesmo seus superiores.

Como consequência de sua dedicação e combate ao crime, efetuando a prisão de diversos criminosos, alguns de extrema periculosidade que aterrorizavam a população de nossa cidade, aconteceu de forma covarde e injustificável a sua baixa em 11 de novembro de 2011, por volta das 20h00, quando dois indivíduos em uma motocicleta ceifaram a vida do militar com vários tiros, fato ocorrido na porta de sua residência, infelizmente mesmo com o socorro acionado e as equipes policiais empenhadas em prender os autores, não foi possível salvá-lo e nem prender os criminosos.

O caso foi registrado da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína.

A morte do Cabo Isaias comoveu toda cidade naquela data, pois aquele crime brutal atingiu frontalmente todo efetivo da Polícia Militar do estado do Tocantins.

As investigações continuam a cargo da Polícia Civil.

Jandres

Jandres Alves Bezerra incluiu nas fileiras da PM-TO em 11/07/1994, através de concurso público para o cargo de soldado da Polícia Militar do Estado do Tocantins, fez o Curso de Formação de Soldados (CFSD) no 2º BPM, unidade que trabalhou até o ano de 2013, quando foi lotado no Batalhão de polícia Militar Ambiental (BPMA) em Araguaína, em 2007 foi mobilizado na Força Nacional de Segurança Pública, participando das operações Divisa Integrada e os Jogos Pan-americanos no Rio de Janeiro.

O referido militar coleciona em seus assentamentos muitos elogios dos comandantes das unidades onde serviu, de comandantes gerais da PM-TO e os comandantes da Força Nacional de Segurança Pública.

Infelizmente teve sua carreira interrompida tragicamente na tarde do dia 12/05/2017, em um estabelecimento comercial na Rua Ademar Vicente Ferreira no Centro da cidade de Araguaína, onde o mesmo se encontrava, e foi surpreendido por uma ocorrência de roubo praticada por dois indivíduos armados, momento em que o Sargento Jandres reagiu e trocou tiros com os criminosos sendo atingido e vindo a óbito no local. Os criminosos fugiram do local, um deles foi localizado e trocou tiros com uma equipe da PM, foi atingido e veio a óbito, o segundo foi preso dias depois no Estado do Piauí e transferido para o Tocantins onde foi julgado e condenado pelo crime.