CIDADES

Ygor propõe Casa de Acolhimento para vítimas de violência doméstica em Araguaína

O vereador Ygor Cotez (PV) propôs a criação de uma Casa de Acolhimento para mulheres vítimas de violência doméstica em Araguaína. No último dia 24 de agosto, quando a Câmara debateu o tema, o parlamentar destacou a importância de sua propositura.

Na oportunidade, a delegada regional de Araguaína, Ana Maria Varjal, e a delegada Sarah Lilian participaram da sessão, que fez parte da programação do “Agosto Lilás”. Varjal destacou a importância da discussão e de ações práticas para combater a violência contra a mulher.

—A rede de proteção contra à violência doméstica passa pelo legislativo que tem papel essencial para criação de políticas públicas municipais visando a criação de programas para encaminhamento das vítimas nas mais diversas áreas. Enfatizou a delegada.

Ygor ladeado pelas delegadas Ana e Sarah Durante a sessão, Ygor Cortez lembrou a luta de Maria da Penha e a contribuição dela para o combate à violência doméstica. E disse, que podemos nos “espelhar” nela, encapar a mesma luta e, em seguida, propôs a criação da Casa de Acolhimento.

—Ela [Maria da Penha] é uma prova de que a política traz um benefício para a sociedade, quando é bem aplicada. Quando ela é bem usada. Então, nós como Parlamento, temos que essa obrigação no ‘espelho’ da própria Maria da Penha. Ressaltou Ygor.

Com isso, elaborou um Requerimento e protocolou na Câmara, visando solicitar à prefeitura a cessão de um prédio público para implantar a Casa de Acolhimento. “É muito difícil para uma mulher, que depende (…) do esposo e ela fica refém sem ter para onde ir”. Justificou.

A propositura entra em pauta nas sessões da Câmara no mês de setembro. “Eu quero abraçar essa causa. Quero que essa causa saia do papel e que se concretize.” Defendeu Cortez, adiantando que os recursos para a manutenção da Casa podem ser provenientes de emendas.