Política

Requerimento do vereador Matheus Mariano pede atendimento preferencial para portadores de fibromialgia

O vereador Matheus Mariano apresentou, no início desta semana, na Câmara Municipal de Araguaína, um requerimento que solicita do Executivo Municipal, atendimento preferencial aos portadores de fibromialgia em órgãos públicos do município de Araguaína.

Pessoas acometidas dessa síndrome sentem dor no corpo todo, principalmente na musculatura. O parlamentar ressaltou que o propósito do requerimento é auxiliar as pessoas, diminuindo os males causados pela síndrome.

“Minha proposta tem o objetivo de minimizar o sofrimento que essas pessoas são obrigadas a suportar. É fato, não se pode negar. Portadores de fibromialgia, enfrentam uma doença incurável e tiveram o seu bem-estar comprometido até na execução de pequenas tarefas, pois trata-se de uma síndrome que causa múltiplos pontos de dor por todo o corpo. Associado ao quadro de dor, essa doença se manifesta com cansaço, depressão e ansiedade; além de alterações intestinais. Essa demanda chegou em nosso gabinete direto da população e meu papel, como vereador, é legislar em favor do povo. Devemos olhar com empatia para a dor do outro”, argumentou Mariano.

O vereador ainda pediu agilidade por parte da prefeitura na resolução do problema, justificando que o atendimento preferencial é um meio importante para pessoas acometidas pela doença.

“É triste, porém uma realidade. Muitos dos portadores de fibromialgia são descriminados e humilhados em filas. Infelizmente porque alguns enxergam a debilidade dessas pessoas como frescura. Mas fibromialgia não é frescura. É uma doença silenciosa e muito dolorosa e em situações assim, muitos portadores desse mal crônico, ficam calados por não poder contar com a compreensão das pessoas”, justificou Matheus Mariano.

O texto do Projeto de Lei de lei 3117, aprovado em 2019 pela Câmara Municipal de Araguaína, já prevê que os órgãos públicos, as empresas públicas, empresas concessionárias de serviços públicos e privados, localizados no município de Araguaína e que as empresas comerciais contempladas com pagamento de cotas deverão incluir as pessoas com fibromialgia nas filas de atendimento preferencial, juntamente com idosos, gestantes e pessoas com necessidades especiais. Na época, o projeto foi elaborado com o objetivo de assegurar direitos imprescindíveis para a qualidade de vida e também promover esclarecimentos sobre a doença.

A doença

A fibromialgia, apesar de ser uma doença que compromete a qualidade de vida de quase 5% da população mundial, ainda é um mistério que a medicina busca desvendar, sendo descrita como uma síndrome musculoesquelética caracterizada por dor crônica generalizada, relacionada frequentemente à distúrbios do sono, fadiga, ansiedade, depressão, sensibilidade, rigidez articular, distúrbios cognitivos, dormência, intestino e bexiga irritável, além de muitos pacientes relatarem de alterações de concentração e memória.

Alguns estudos recentes indicam que a fibromialgia é a realidade de 2 a 22% da população mundial, afetando mais mulheres do que homens. No Brasil, cerca de 2,5 a 4,4% da população é afetada pela doença, sendo a segunda maior causa de doença reumatológica depois da osteoartrose.