ESTADO

Promotores cobram estruturação de leitos de UTI para Covid-19 em Augustinópolis

Os promotores de Justiça que participaram da reunião online realizada esta semana pelo Centro de Apoio Operacional da Saúde (Caosaúde) do Ministério Público do Tocantins (MPTO) demandam a necessidade de estruturação de UTI em Augustinópolis para tratamento específico dos casos de Covid-19 na região do Bico do Papagaio.

Segundo a promotora de Justiça e coordenadora do Caosaúde, Araína Cesárea D’Alessandro, os promotores relataram a preocupação com o número crescente de infectados e óbitos apresentados no Boletim Epidemiológico da Covid-19 divulgado pelo Governo do Tocantins. “Somente as UTIs do Hospital Regional de Araguaína e do Hospital Dom Orione não serão suficientes para atender toda a demanda de pacientes com a Covid-19 nesta região”, observou.

Dos 932 casos confirmados com a Covid-19 no Boletim divulgado nesta quarta-feira, 13, 562 foram notificados na Região Norte, sendo 115 na Região do Bico do Papagaio. E dos 21 óbitos registrados pelo Boletim, 12 aconteceram em municípios da Região Norte, dos quais nove ocorreram no extremo norte do Estado.

Para o promotor de Justiça Paulo Sérgio Ferreira de Almeida, a disparidade entre os casos notificados e o alto índice de mortes no Bico do Papagaio sinaliza que há subnotificação de casos nesses municípios. Os promotores devem avaliar quais medidas podem ser tomadas por parte do Estado visando à estruturação de leitos de UTI para a Covid-19 no Hospital Regional de Augustinópolis.

Participaram da reunião as promotoras de Justiça Juliana da Hora Almeida, da 2ª PJ de Araguatins, e Laryssa Santos Machado Filgueira Paes, da PJ de Xambioá; e os promotores de Justiça Leonardo Gouveia Olhe Blanck, da 5ª PJ de Araguaína, Paulo Sérgio Ferreira de Almeida, da PJ Augustinópolis, e Rui Gomes Pereira da Silva Neto, da PJ de Ananás. A reunião contou ainda com a participação dos servidores do MPTO Alane Torres de Araújo Martins e Fáustone Bandeira M. Bernardes.