Saúde

No último ano, casos de dengue reduziram 80% em Araguaína

Enquanto algumas regiões do Brasil decretam situação de emergência devido aos altos índices de dengue, Araguaína apresenta um cenário mais controlado da doença com uma redução de 80% no número de casos no último ano. Conforme dados do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), em 2022, foram mais de 1.360 registros e, no ano passado, o órgão recebeu 269 confirmações.

Em janeiro de 2024, até o momento, foram confirmados 19 casos e outros 51 estão em análise aguardando o resultado do exame. No mesmo mês, em 2023, foram 30 registros da doença, o que representa, até o momento, uma redução de 36,6% dos casos. Em todo o Brasil, de acordo com dados do Instituto Todos pela Saúde, o número de testes positivos de dengue subiu de 0,7% para 13% em menos de dois meses.

Março de 2023 foi o mês com maior incidência da dengue em Araguaína, com 320 casos confirmados. Mas o número de pessoas infectadas pelo mosquito da dengue foi diminuindo mês e mês fechando dezembro com 119 registros.

“Estamos otimistas com esse cenário, significa que o trabalho de porta em porta realizado pelos agentes de endemias e a divulgação de informações em nossos canais de comunicação está contribuindo para uma sociedade mais consciente. Mesmo assim, reforçamos que continuem com os cuidados, principalmente neste período de chuva que vai até maio deste ano”, afirma a coordenadora do Programa de Combate à Dengue em Araguaína, Mariana Parente.

A Zika e a Chikungunya também são transmitidas pela picada do mosquito Aedes Aegypti, mas, no caso da Zika, ainda pode ocorrer a transmissão por meio de relação sexual e de mãe para feto durante a gravidez.

De olho na limpeza

Segundo um estudo do Ministério da Saúde, três em cada quatro focos do mosquito da dengue estão dentro da casa dos brasileiros, por isso a principal forma de prevenir da doença é eliminando água parada em recipientes, como garrafas plásticas, pneus, vasos de plantas, piscinas sem uso e sem manutenção, entre outros locais que podem servir de criadouro para o Aedes.

Um outro ponto de atenção é a limpeza de terrenos baldios para evitar a despejo irregular de lixo. A prefeitura mantém ativa a notificação pública direcionada aos proprietários de lotes vazios que não fazem a limpeza periódica. Caso o proprietário não cumpra o prazo estabelecido pelo Município, é aplicada uma multa no valor de R$ 300,00, somada aos custos dos serviços que venham a ser executados pela prefeitura para a limpeza do terreno.

Tem vacina?

Recentemente, o Governo Federal anunciou o início da distribuição da vacina contra a dengue para mais de 520 municípios, onde são priorizadas as cidades com o maior número de casos. Inicialmente, Araguaína não foi contemplada pelo Ministério da Saúde. No Tocantins, a região de saúde do Capim Dourado, que contempla as cidades Miranorte, Miracema, Lajeado, São Félix, entre outras, receberam as doses do imunizante.

)