Araguaina

Janeiro Branco: “Aqui é minha segunda casa”, diz paciente acolhida no Caps AD III de Araguaína

O abandono afetivo por parte da família, as dificuldades financeiras e a depressão foram os gatilhos que levaram a empreendedora Valdecira Queiroz, de 43 anos, a entrar para a dependência química. “Eu sofri demais com o vício, tudo eu descontava na bebida. Era como se eu estivesse vivendo só para fugir de todos os meus problemas”, conta.

Mesmo com a vida tumultuada, Valdecira decidiu buscar ajuda e foi no Caps AD III (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) de Araguaína que ela encontrou uma saída para combater o vício em álcool e a oportunidade de começar uma nova história.

“Fui informada que o Caps poderia me ajudar e não pensei duas vezes em pedir ajuda. Chegando aqui, eu encontrei a minha segunda casa e, graças a esses profissionais maravilhosos, eu venci a dependência”, disse, emocionada, a empreendedora.

Cuidado humanizado

O tratamento da paciente já dura quatro anos. Além de todo acompanhamento médico, psicológico e terapias, a moradora também encontrou na equipe um cuidado especial e aos poucos está aprendendo a ler, escrever e empreender.

“Em um atendimento e outro, fomos auxiliando a paciente sobre a abertura do próprio negócio. Ela também está aprendendo a ler, escrever e a somar os ganhos e os gastos que ela tem com a venda de espetinhos. Para nós, a parte que mais engrandece é saber que, assim como a Valdecira, outras pessoas estão tendo a oportunidade de superar suas fraquezas e construir uma nova história de vida”, destacou a enfermeira,Adriana Toledo.

Tratamento contra a dependência em álcool e drogas

O Caps AD III é uma unidade de saúde de porta aberta que funciona 24 horas por dia em todos os dias da semana, inclusive aos finais de semana, com atendimento  médico, psicológico, serviço social, enfermagem, pedagogia, farmacêuticos, educador físico, dentre outros, para os pacientes que já estão em tratamento.

Desde sua implantação, o serviço já soma mais de quatro mil pacientes cadastrados para realização de tratamentos pertinentes à dependência química, com uma média diária de 45 atendimentos.

Os interessados em tratar a dependência química em Araguaína podem procurar o CAPS AD III na Rua 12 de Outubro, nº 435, no Centro, das 7 às 19 horas. A unidade também atende pacientes por meio de encaminhamentos das UBS (Unidades Básicas de Saúde).

Caps Infantil: amparo psicológico para jovens          

Araguaína conta com uma ampla rede de atendimento para cuidar da saúde mental de todas as pessoas, incluindo crianças e adolescentes que apresentem transtornos mentais severos e persistentes.

O Caps Infantil  (Centro de Atenção Psicossocial) oferece serviço de saúde mental especializado para crianças e adolescentes por meio de tratamento individual ou em grupo, acolhimento familiar, oficinas terapêuticas, oficinas terapêuticas, consultas, entre outros.

Como ter acesso?

Localizado na Rua Deusarina Aires, no Setor Jardim Filadélfia, o Caps Infantil atende por meio da demanda espontânea, demanda judicial, encaminhamentos do Conselho Tutelar, encaminhamentos das unidades básicas de saúde e demanda escolar.

A equipe formada por médicos, enfermeiros, psiquiatras, psicólogos, pedagogos e demais profissionais  é responsável pelo acolhimento, de forma contínua, de 13.458 pacientes que residem em Araguaína ou em uma das 17 cidades de abrangência.

Suporte psicológico na rede básica

Pessoas que necessitarem de atendimento psicológico pelo SUS (Sistema Único de Saúde) podem procurar a UBS de referência do bairro onde mora e agendar uma consulta.

“Em todas as unidades, os profissionais estão aptos a atender esses pacientes e encaminhá-los para o tratamento mais adequado. É de extrema importância ressaltar para essas pessoas e seus familiares que eles não estão sozinhos e que podem contar com esse suporte especializado ofertado pelo município”, destaca a superintendente da Atenção Básica, Thaize Cordeiro.

Quando necessário, o paciente é encaminhado para uma das cinco UBS habilitadas para atender a demanda de tratamentos psicológicos e psiquiátricos por meio das equipes eMulti, formada por profissionais de diferentes áreas de conhecimento. Dependendo da demanda do paciente, o médico também pode encaminhar, via regulação, para uma consulta especializada no AME (Ambulatório Municipal de Especialidade).

Saiba quais são as unidades habilitadas:

UBS Setor Vila Aliança (Dr. Francisco)
UBS Tereza Hilário (Dr. César Delgado)
UBS Setor Couto Magalhães (Couto Magalhães)
UBS Setor Lago Azul (Lago Azul)
UBS Setor Araguaína Sul (Araguaína Sul)

Janeiro Branco

A campanha nacional busca chamar a atenção da população para a Saúde Mental como um aspecto vital para a melhora da qualidade de vida, promover relações sociais mais saudáveis e transformações positivas nas instituições sociais.

Janeiro foi estrategicamente escolhido porque, como primeiro mês do ano, promove nas pessoas maior abertura para reflexões, novas resoluções e metas para o ano que se inicia. A cor branca representa as folhas ou telas em branco, em que uma pessoa pode escrever sempre uma nova história.

Programação

No dia 29, dentro da programação da Secretaria da Saúde de Araguaína, será realizado o encontro Café com Empresários, a partir das 8 horas, na Escola de Tempo Integral Domingos da Cruz Machado. O encontro terá a palestra do psiquiatra convidado, Marcos de Noronha, autor do livro “O cérebro e as emoções”.

Já nos dias 30 e 31, será promovido o I Seminário de Saúde Mental de Araguaína, na Escola de Tempo Integral Domingos da Cruz Machado, com a presença de palestrantes, profissionais da saúde, convidados, mesa redonda e apresentações.

E durante todo o mês de janeiro, profissionais da saúde dos Caps, Cerest e Vigilância Epidemiológica também irão realizar Pit Stops de Saúde Mental em secretarias e empresas de Araguaína.

 

(Por Carine Flores | Fotos: Marcos Filho Sandes / Secom Araguaína)