CIDADES

Integrante de facção criminosa que matou colega em Araguaína é condenado a 14 anos de prisão

O Tribunal do Júri acolheu as teses de acusação do Ministério Público do Tocantins (MPTO) e condenou João Lucas Fernandes de Sousa, de 22 anos, pelo homicídio de Gabriel Soares de Moura, ocorrido em 18 de maio de 2020, na cidade de Araguaína. A sessão de julgamento ocorreu nesta terça-feira, 17.

O crime foi motivado por um desentendimento prévio entre o autor e a vítima, relacionado a atividades do tráfico de drogas ilícitas. Eles seriam integrantes de uma mesma organização criminosa.

No dia do homicídio, João Lucas foi até uma residência onde Gabriel Soares estava, no setor Noroeste, e o surpreendeu no portão de saída, desferindo pelo menos três disparos contra ele, que atingiram a região torácica e a cabeça.

Pelas circunstâncias do crime, foram reconhecidas pelos jurados as qualificadoras de motivação torpe e emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima. A pena para o réu foi estabelecida em 14 anos e três meses de reclusão, a ser cumprida em regime fechado. Também foi fixada uma indenização de R$ 10 mil, a ser paga pelo réu a familiares da vítima.

João Lucas Fernandes de Sousa já se encontrava preso preventivamente na Unidade Prisional de Araguatins.
A acusação na sessão de julgamento foi sustentada pela 4ª Promotoria de Justiça de Araguaína.