AÇÃO POLICIAL

Governo do Tocantins apresenta balanço com queda de quase 50% em homicídios no 1° semestre de 2024

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), apresentou nesta segunda-feira, 1° de julho, o balanço da segurança pública do primeiro semestre de 2024. O documento divulgado compara as variações de janeiro a junho deste ano, com o mesmo período de 2023. Foi constatada a queda de 49,80% nos casos de homicídio; 100% na taxa de lesão corporal seguida de morte; 75% de latrocínio; 21,24% de roubo; e 2,49% nos casos de furtos. Os números foram divulgados pelo titular da SSP,  Wlademir Mota, em coletiva à imprensa nesta manhã, no Palácio Araguaia Governador José Wilson Siqueira Campos, em Palmas.

Os dados divulgados demonstram o trabalho conjunto das forças de segurança do Estado no combate ao crime e na repressão à violência, respondendo ao pedido do governador Wanderlei Barbosa.

Os índices levantados levam em consideração a quantidade de moradores do Estado, sendo o cálculo feito a partir do número de crimes, dividido pela população e multiplicado por 100 mil habitantes, seguindo orientação da Organização das Nações Unidades (ONU) para a elaboração de balanços desse porte.

Homicídios

Caiu de 209 para 105 casos de homicídios no Tocantins, na comparação do 1° semestre de 2024 com o de 2023, o que representa uma queda 49,80%. O destaque em particular é uma consequência direta da união de todas as forças de segurança do Estado, principalmente com enfoque nas cidades que, em 2023, apresentaram índices mais altos, como na Capital que, no referido ano, teve 91 casos, já neste, 15, uma variação de -83,5%.

“A união de facções criminosas causou preocupação em todos no ano de 2023, quando várias mortes foram registradas em Palmas e nos demais municípios. Preocupado com isso, o governador Wanderlei Barbosa nos solicitou o reforço da união das forças de segurança, que passaram a trabalhar cada vez mais conjuntas, nas delegacias especializadas: Denarc [Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos]; DHPP [Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa]; e Deic [Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado]. Essa integração foi fator primordial para a prisão de lideranças de grupos criminosos que estavam soltas, fazendo terror na população e, hoje, estão presas justamente para que as forças de segurança possam agir com mais rigor”, pontuou o secretário de Estado da Segurança Pública, Wlademir Mota.

Lesão corporal seguida de morte

Nos primeiros seis meses de 2024, foi zerado o índice que aponta o quantitativo de lesões corporais seguidas de morte no Tocantins, em comparação com o mesmo período de 2023, que registrou 5 casos, logo, uma queda de 100%.

Latrocínio

Uma queda de 75% foi registrada nos casos de latrocínio no 1° semestre de 2024, com três registros em comparação aos 12 do mesmo período em 2023. Presente na ocasião, o secretário de Estado da Cidadania e Justiça do Tocantins (Seciju), Deusiano Pereira de Amorim, reforçou que sua pasta segue atuando em união com a SSP. “Hoje [1° de julho], percebemos aqui, com os dados apresentados, o quanto a união de todas as forças é necessária para a diminuição do crime no Tocantins. Parabenizamos à SSP e seguimos juntos nos serviços”, pontuou o gestor.

Feminicídio

Foram registrados oito casos de feminicídio de janeiro a junho de 2024, contra cinco em 2023. Apesar do aumento, a Secretaria de Estado da Segurança Pública já está trabalhando em ações diretas de combate ao crime de violência doméstica e outras sofridas por mulheres no Tocantins. Foi assinada em junho deste ano uma Lei que determina que as unidades federativas realizem a implementação de duas redes, uma de proteção para acolhimento da mulher que sofreu alguma violência e outra para repressão de crimes contra a mulher. Tais redes visam ao aumento na vigilância, na atuação direta na prevenção e no acompanhamento do pós-crime. “O feminicídio é um crime que deve ser combatido pela Segurança Pública, mas também por toda a população tocantinense”, ressaltou o superintendente de Inteligência e Estratégias da SSP, Emerson Francisco de Moura.

Crimes patrimoniais

Nos crimes contra o patrimônio, houve queda de 21,24% nos roubos, tendo sido registrados 823, em 2024; e 1.045, em 2023, novamente no comparativo de janeiro a junho. Os furtos também tiveram decréscimo de 2,49%. Foram 6.127, em 2024; e 6.325; em 2023, no referido período. Houve ainda a queda de 33,83% nos roubos de veículos, com 131 casos no 1 semestre de 2024; e 198, em 2023. Já sobre furtos, foram 487 neste ano; contra 568, de 2023, uma queda de 14,26%.

A quantidade de boletins de ocorrência registrados na Polícia Civil apresentou também uma queda de 23,30% no índice de roubos de celulares, com 510 casos em 2024, contra 665 em 2023. Houve, contudo, um aumento de 0,63% nos furtos de aparelhos telefônicos, tendo em vista os 1.419 registrados nos seis meses de 2024, contra 1.410 em 2023. A respeito disso, o titular da SPP reforçou que a pasta que já está em contato com o estado do Piauí, que possui uma tecnologia que consegue combater este crime em específico.

“Hoje em dia, a questão dos celulares é um problema não só no Tocantins, mas em todo o país. Fizemos o contato com a Segurança do Estado do Piauí, que nos auxiliará com essa tecnologia que, em breve, será implementada aqui, para que possamos diminuir cada vez mais esses índices. Com ela, conseguiremos identificar com mais agilidade os aparelhos extraviados. Esperamos que, antes do final deste ano, já possamos apresentar essa resposta para a população”, pontuou ainda o titular da SSP, Wlademir Mota.