CIDADES

Entre janeiro e julho de 2022 Palmas registra mais de 10 mil casos de dengue

Novo levantamento sobre as arboviroses em Palmas aponta que os casos confirmados de dengue passaram de 10 mil em 2022. O número compreende o período de 1º de janeiro a 23 de julho.

O número exato de pacientes diagnosticados com a dengue é 10.009. Com relação à chikungunya, ao todo foram confirmados 1.753 casos e um de zika. Todas as doenças são transmitidas ao ser humano através do mosquito Aedes aegypti.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), Palmas registrou 20.231 casos suspeitos de dengue, 4.834 de chikungunya, 740 de zika, além de sete suspeitas de febre amarela.

Até o mesmo período de 2021, havia apenas 2.029 casos de dengue em investigação, 149 de chikungunya, 138 de zika vírus e quatro de febre amarela. Na época, houve a confirmação de apenas 898 pacientes com a dengue, 17 de chikungunya, nove de zika, e nenhum com a febre amarela.

Cuidados contra o mosquito

A principal proteção contra as doenças é não deixar o Aedes se proliferar. Para evitar isso, é preciso acabar com os focos de água parada, que em 70% dos casos ficam dentro das residências.

Veja o que fazer para combater o Aedes aegypti:

  • Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
  • Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  • Mantenha lixeiras tampadas;
  • Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  • Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água.
  • Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  • Mantenha ralos fechados e desentupidos;
  • Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana;
  • Retire a água acumulada em lajes;
  • Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;
  • Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Semana epidemiológica

Entre os dias 17 a 23 de julho, que compreende a 29 ª semana epidemiológica, Palmas investigou 230 suspeitas de dengue, 113 de chikungunya, 18 de zika e nenhum de febre amarela. Na semana 28, foram 230 casos de dengue, 113 de chikungunya, 18 de zika. Também não houve registro de febre amarela.