ESTADO Saúde

Em dia de Natal, Tocantins tem sua 13ª captação de múltiplos órgãos em 2023

Foto: Elder Silva

Um gesto de amor e solidariedade condizente com o dia de Natal ocorreu na segunda-feira,  25, no Hospital Regional de Araguaína (HRA). Uma família proporcionou a 13ª captação de múltiplos órgãos do Estado do Tocantins, em 2023. Na ocasião foram captados os rins, fígado e córneas que foram encaminhados respectivamente para  Porto Alegre, Brasília e Tocantins. A doadora foi uma paciente de 63 anos, que evoluiu para morte encefálica.

A enfermeira da Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT/HRA), Luna Baum, ressaltou que “o papel da equipe é viabilizar todo processo e diagnóstico e principalmente acolher aos familiares  e com a confirmação da morte encefálica ofertar aos mesmos a oportunidade de transformar o que seria um ponto final na continuidade da vida, com o aceite da doação de órgão. A doação de órgãos é um ato de nobreza e amor ao próximo, após o sim de uma família toda uma estrutura é mobilizada para atender.”

Ela acrescentou que “tiveram o  apoio de um  avião da Força Aérea Brasileira, eles transportaram três profissionais que fizeram o procedimento no centro cirúrgico do HRA. Essa logística é primordial para atender os pacientes da fila nacional”.

Segundo a diretora geral do HRA, Cristiane Uchoa, “o trabalho da equipe da CIHDOTT/HRA é essencial. Eles vem conduzindo esse papel com muito cuidado e responsabilidade, pois sabemos que o transplante  é  a única esperança de vida ou a oportunidade de um recomeço para as pessoas que aguardam em fila por uma doação de órgãos”.

O psicólogo do CIHDOTT, Eduardo de Pinho, relatou o sentimento da família em relação à doação. “Apesar do impacto e tristeza em perder a matriarca da família e dos planos de comemorações de natal e fim de ano interrompidos, os entes queridos da nossa paciente optaram pela doação de órgãos. No tempo conosco os familiares relatam o legado altruísta da doadora, os bons momentos vividos como herança e sobre o prazer da convivência. Neste sentido, mesmo com a perda, o Natal será de homenagens e de contemplação das imagens alegres de quem doou a vida até o fim”.