AÇÃO POLICIAL

Em Araguaína, mulher suspeita de envolvimento em homicídio é presa pela Polícia Civil

Uma mulher de 26 anos, suspeita de envolvimento em um crime de homicídio, ocorrido em Araguaína, no dia 18 de abril de 2021, foi presa na manhã desta quarta-feira, 18, durante ação da 2ª Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (2ª DHPP), de Araguaína.

A ação que resultou na prisão da mulher, foi comandada pelo delegado-chefe da 2ª DHPP, Guilherme Coutinho Torres e ocorreu nas primeiras horas desta manhã, quando as equipes da Divisão Especializada foram até uma residência, localizada no Setor Tiúba, onde capturaram a suspeita, mediante cumprimento de mandado de prisão preventiva, expedido pela Vara Criminal da Comarca de Araguaína.

De acordo com a autoridade policial, durante o cumprimento da ordem judicial, os policiais civis também localizaram em poder da mulher, várias porções de entorpecentes e, desse modo, ela também foi autuada em flagrante por tráfico de drogas. Após ser levada para à sede da 2ª DHPP onde foram realizadas as providências legais cabíveis, a investigada foi colocada à disposição do Sistema Prisional do Tocantins.

O crime

Conforme apurado pela Polícia Civil, na noite do dia 18 de abril do corrente ano, a vítima, Feliciano Pereira da Silva, participava de uma festa na casa da suspeita, onde estaria havendo consumo de drogas. Em determinado momento, o homem saiu do local e foi até sua própria residência, onde teria pego certa quantia em dinheiro e saído.

Ocorre que no dia seguinte, a vítima foi encontrada morta, às margens da TO 122, com várias perfurações de arma de fogo pelo corpo e sem o dinheiro que teria ido buscar em casa. As investigações da PC-TO apontaram que a mulher presa hoje possui envolvimento com o homicídio sendo que a mesma já era investigada pelo crime de tráfico de drogas.

Com base nas investigações, o delegado representou, junto ao Poder Judiciário, pela prisão da mulher, que foi deferida e cumprida na manhã desta quarta-feira. As investigações terão continuidade para que a 2ª DHPP possa esclarecer todas as circunstâncias do crime, e descobrir se houve participação de outras pessoas no homicídio.