Araguaina

Covid foi a segunda maior causa de mortes entre moradores de Araguaína no 1º semestre

Dados levantados pela Vigilância Epidemiológica Municipal apontam que, de janeiro até o fim de julho, a covid-19 foi a segunda maior causa de óbitos entre moradores de Araguaína. A nova doença está classificada no grupo de óbitos por doença infecciosas e parasitárias e nos primeiros sete meses de 2020 somavam 103 mortes, sendo 94 pelo novo coronavírus. No mesmo período do ano passado, essa divisão registrava apenas 18 mortes.

Em comparação aos outros grupos, a nova doença está atrás apenas dos óbitos por doenças do sistema circulatório, compostas entre outras por infarto e hipertensão. Essas registram 153 mortes, tendo 166 no comparativo com o mesmo período do ano passado.

A terceira maior causa de morte em Araguaína são as consideradas externas, como acidentes e agressões, e apontam 90 casos até o último mês de 2020 e 100 no mesmo período de 2019. Na sequência, em quarto, vêm os tumores com 62 e 88 óbitos, respectivamente aos comparativos anteriores.

Precauções
A Prefeitura de Araguaína vem ampliando o número de leitos no Município e terá mais 60 com a implantação da primeira etapa do novo prédio do Hospital Municipal Eduardo Medrado (HMEM), além da contribuição para funcionamento de leitos administrados pelo Estado. Isso é importante para diminuir as mortes causadas pela covid-19.

Para evitar o aumento da disseminação do novo coronavírus, é necessário que a população siga as recomendações dos órgãos de saúde, como lavar as mãos frequentemente com água e sabão, ou higienizá-las com álcool em gel; usar máscara em locais públicos; manter distância mínima de 2 metros das outras pessoas; não tocar nos olhos, nariz ou boca; se tossir ou espirrar, cobrir a boca com lenço descartável ou com a parte interna do cotovelo.

Em caso de contaminação, a pessoa deve ficar em isolamento dentro de um quarto na residência e, se possível, ter banheiro exclusivo para uso.  É ideal também que a pessoa em isolamento domiciliar tenha uma lixeira exclusiva para seus resíduos, que deve ficar no cômodo reservado somente para ela.

Todos os resíduos como máscaras descartáveis, lenços de papel e outros materiais usados na higiene pessoal devem ser acondicionados em sacos plásticos resistentes. Esses só devem ser preenchidos até dois terços de sua capacidade total, isso facilitará a amarração com nó duplo, evitando uma abertura acidental.

Atinge todos
Outro levantamento aponta que um a cada quatro moradores de Araguaína que morreram devido à covid-19 não tinha nenhuma comorbidade, segundo o Boletim Epidemiológico do último dia 20 de julho. A porcentagem exata é de 26,6% e representa 21 dos 79 óbitos registrados até a data. A proporção de óbitos também é a mesma para o grupo abaixo dos 60 anos, em que não são considerados idosos.

Dentre as pessoas que morreram, além do grupo sem comorbidade, outros três grupos se destacam: pacientes com hipertensão (12,7%), doença cardíaca (11,4%) e hipertensão mais diabetes (10,1%).