Araguaina

Ação da Vigilância Sanitária aponta que 100% das amostras de alimentos coletados em Araguaína são seguras

Uma ação realizada pela Vigilância Sanitária e o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública do Tocantins) identificou que 100% das amostras de alimentos coletadas nos estabelecimentos comerciais de Araguaína durante uma vistoria de rotina atendem aos padrões de qualidade exigidos. O novo método aderido pelo Município tem como objetivo monitorar os produtos oferecidos à população e assim manter a segurança alimentar.

“O foco foi a identificação da presença de Escherichia coli, Salmonella spp e coliformes termotolerantes, que costumam ser os microrganismos nocivos mais comuns. As amostras coletadas passaram por rigorosa análise laboratorial e tiveram um desfecho positivo que reflete o comprometimento e a dedicação dos empresários locais em garantir e manter a boa qualidade dos alimentos na nossa cidade”, informa o diretor de Vigilância Sanitária, Cláudio Aguiar.

A Vigilância visitou estabelecimentos em diversos bairros da cidade e no centro com o intuito de detectar a presença dos microrganismos que, se ingeridos, podem causar infecções intestinais e outros problemas de saúde.

Normalmente, as análises laboratoriais são exigidas quando há suspeita de surto alimentar, mas a nova pesquisa pretende complementar as ações da Vigilância Sanitária de Araguaína, que abrangem inspeções nos locais, cadastramento e monitoramento para documentar ou manter os licenciamentos dos estabelecimentos.

 

Mais detalhes sobre a ação

Mensalmente, foram coletadas amostras de produtos alimentícios industrializados e também prontos para o consumo disponíveis em supermercados, restaurantes, churrascarias, sorveterias, fábricas de gelo e entre outros estabelecimentos comerciais.

Dentre os alimentos analisados estão ingredientes usados para a preparação de alimentos, condimentos, cubos de gelo, pimenta, biscoito de polvilho, mais conhecido como peta, refeições, marmitas e sorvetes.

“Nós seguimos o cronograma do Lacen, que aplicou a análise das amostras alimentícias nas 11 maiores cidades do Tocantins e nosso município está entre elas. É um projeto piloto e o objetivo para 2024 é ampliarmos as amostragens e locais”, complementou o diretor.